ETERNO RETORNO – Crônica de Rubens da Cunha

Eterno Retorno, crônica de Rubens da Cunha, Publicada no Jornal A Notícia, em 30/05/2012

Um dos conceitos mais famosos de Nietzsche é o de eterno retorno, a ideia de que tudo vai e tudo volta, tudo se desfaz e tudo é desfeito. Antes de Nietzsche, o revolucionário francês Louis Auguste Blanqui, que passou quase 40 anos de sua vida em prisões, unicamente por suas ideias aterradoras contra os governos, escreveu no cárcere: “O futuro reverá sobre bilhões de terras a ignorância, as tolices, as crueldades de nossas velhas eras! Na hora presente, a vida inteira de nosso planeta, do nascimento até a morte, é vivida em parte aqui e em parte lá, dia a dia, (…), com todos os seus crimes e suas desgraças. (…). Sempre e em todo lugar, no campo terrestre o mesmo drama, o mesmo cenário, sobre o mesmo palco estreito uma humanidade barulhenta, enfatuada de sua grandeza, acreditando ser o universo e vivendo em sua prisão como numa imensidão”. A clareza visionária de Blanqui está cada vez mais presente em nossos dias atuais. Alguns pensadores contemporâneos afirmam que estamos vivendo um presente contínuo, ou seja, cada vez mais a sensação desse eterno retorno, desse mesmo drama, desse mesmo cenário.

Olhando de passagem, nos últimos oito anos, as manchetes do jornal “A Notícia” no dia 30/5, é um tanto difícil não ceder ao niilismo, outro conceito famoso de Nietzsche. Senão vejamos:

30/5/2004: “Corrupção na mira da Polícia Federal. Fraude da Saúde pode ser a ponta de um iceberg”. Eis a infinita ponta do iceberg da corrupção brasileira…

30/5/2005: “Feriado termina com 17 mortes. Em quatro dias de operação especial, polícia registrou 257 acidentes nas estradas”. Eis a contínua contagem de mortos no trânsito brasileiro.

30/5/2006: “Ônibus podem parar hoje. Motoristas e cobradores da Grande Florianópolis ameaçam protesto por tempo indeterminado”. O pessoal de Florianópolis tem esse “eterno retorno” grevístico em especial.

30/5/2007: “Renan não tem todas as provas”, sobre Renan Calheiros, filho fora do casamento, pensão paga por empreiteiras, enfim, mais uma ponta do iceberg aí de cima…

30/5/2008: “Lixo é retirado do rio Cachoeira”. Sobre um projeto da Jet bus de limpeza do Rio Cachoeira. O projeto morreu. O rio morto continua o vivo depósito dos lixos sólidos, líquidos e morais de Joinville.

30/5/2009: “Coreia do Norte renova ameaça e lança 6º míssil”. As ameaças de guerra são todos os dias renovadas, seja pelas republiquetas, seja pelos impérios. Impressionante como não aprendem.

30/5/2010: “Promessa da duplicação da BR-280 faz dois anos. E nada”. Salvo engano, a promessa continua retornando. O nada também.

30/5/2011: “Danos, curtição e resgate. Ondas de 3,5 metros atingiram praias do Litoral Norte durante o fim de semana”. O mar e suas ondas contínuo retorno, ocupando os espaços ocupados pelos humanos.

E assim, podemos retornar ano a ano, até ao primeiro número do jornal “A Notícia”, que muitas das manchetes se repetirão. E nas manchetes de hoje, 30/5/2012, mais um pouco do mesmo, igual a essa crônica.

Anúncios

Uma resposta para “ETERNO RETORNO – Crônica de Rubens da Cunha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: