Crônica da Semana, por Marco Vasques

HOMEM REAL E VIRTUAL

POR MARCO VASQUES

Publicado no jornal Notícias do Dia [19/11/2012]

O primeiro passo para ser considerado um homem desconhecido, por mais conhecido que se possa parecer, é não possuir um perfil pessoal no facebook. Afinal de contas, o mundo está na rede. E, por consequência, quem não estiver nela, está fora do mundo, do alcance e do olhar das multidões. Tudo tem que ser revelado; todos os mistérios, segredos, intimidades têm que estar ao mínimo toque dos dedos e dos olhos. Não faz muito tempo, um pouco de reserva, de privacidade e de timidez possuíam algum ar de mistério e beleza. As pessoas não querem mais surpresas e descobertas, mesmo as mais positivas. Porque as negativas são inevitáveis em qualquer relação, seja ela real ou virtual.

Há quem diga que a virtualidade é a nova realidade e que o real já não tem mais importância alguma. Sexo virtual, por exemplo, agora é sexo real. Dizem os estudiosos de Bundópolis que se trata de uma nova concepção do real, isto é, o real é o irreal imaginado e vivido pela experiência de transmissões neurovirtuais; portanto, uma nova fisicalidade do real que, perpassado pela imaginação, se concretiza em ato mais que real, realíssimo – afirmam tais cientistas avalizados pelos intelectuais mais brilhantes da cidade.

Nelsinho, morador do Córrego Grande, é um desses homens que preferem conversar, ir aos bares, beijar, fazer sexo, beber, tomar banho de mar, frequentar cinema e teatro, caminhar na areia, ler livros, paquerar a dona da farmácia, a cabeleireira, a atendente do mercado, a moça da loja de produtos naturais, a loira da padaria, a menina que cuida do estacionamento…

Ele, como se pode observar, passa o dia todo na rua.  Homem pusilânime, antes de qualquer abordagem, costuma observar e estudar seu alvo antes de avançar. Depois de muita troca de sorrisos, olhares e insinuações, ele ganha a coragem necessária e convida Lara para tomar um banho de mar no final de semana. Ela, num primeiro impulso, aceita. Nelsinho pergunta qual o melhor local para o encontro. Ela argumenta que na frente do mercado Imperatriz do Córrego está bom. Marcam o horário e trocam telefones.

Passados dois dias, seu telefone toca. Era Viviane, uma amiga de Lara, cancelando o encontro. Nelsinho insiste em querer saber o motivo. A amiga diz que ela não encontrou o perfil dele na internet e que está impedida de sair com um desconhecido. Você sabe que quem não está no facebook não existe.  O real agora é ser virtual. Sem identidade digital não dá mais. O mundo anda muito violento e se faz necessário conhecer as pessoas acima de tudo. E a tagarela ainda arremata: você nem existe, Nelsinho!

 

 

Anúncios

Uma resposta para “Crônica da Semana, por Marco Vasques

  • Soraia Salomão

    veio a calhar ! tenho pensado muito neste tema. Será que estamos caminhando para a identidade digital mesmo?? ´será um modismo da Era Digital? comer em comprimidos (“uma capsula light de salmão e salada”, “uma capsula completa de arroz ,feijão, ovo e bife à cavalo”) …. e sexo seguro, sem risco de gravidez, sem risco de DSTs e sem pegadas?
    ahh!…. e as pegadas??? hum… nada substitui. sou ainda do tempo antigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: