Bom dia, qualquer dia. Crônica de Rubens da Cunha

Crônica publicada no Jornal A Notícia em 05/06/2013

Bom dia, qualquer dia

Acorda e liga a televisão. É intervalo no jornal da manhã. Os mais diversos tipos de propaganda. Apartamentos de luxo, alimentos alternativos, lojas de departamentos, clínica para disfunção erétil cujos modelos parecem estar bastante distantes de qualquer disfunção. O jornal volta, a reportagem que abre o bloco fala dos desperdícios de alimento. Segundo a ONU 300 milhões de toneladas de alimento são jogadas fora, isso contando apenas com os lugares públicos como restaurantes, hotéis, comércio. Não há qualquer estudo sobre o desperdícios nas casas, nos apartamentos. Amanhecer sabendo que há um desperdício gigantescos em contraponto com a fome também gigantesca de milhares, não é algo que possa apetecer alguém que tenha alguma noção de solidariedade. Talvez nesse século 21 a coisa toda mude, talvez continuemos nesse ritmo desperdiçado até o fim de tudo.

O jornal estadual acaba e começa o jornal da manhã em rede nacional. A lista de notícias ruins é considerável: aumento de passagens de ônibus, falta de luz, aumento do dólar, conflitos indígenas, enchentes, protestos na Turquia, espionagem, no futebol o empate entre Brasil e Inglaterra. O jornal segue entremeando notícias ruins com outra mais denunciativa com outra mais positiva. Seria uma fórmula essa pauta: morde, assopra, alisa? Na reportagem sobre a parada gay, os clichês de sempre sobre o assunto, seguido por uma nota sobre a incompetência da organização de um concurso público. A reportagem seguinte é mais longa, sobre as enchentes no estado do Amazonas A previsão do tempo fala das chuvas intensas, dos temporais, das nuvens que estão cobrindo o Brasil.

No mundo a coisa toda não anda muito diferente: enchente na Alemanha. Na Turquia, uma onda de protestos contra um governo que, parece, está virando uma ditadura. Nos EUA, um soldado está sendo julgado porque expôs alguns erros do exército americano. Sem dúvida, o mundo não anda no caminho da justiça. Para alisar os telespectadores: futebol. A seleção meio capenga não conseguiu vencer a Inglaterra.

Para resumir o jogo, o repórter diz: não foi ótimo, mas foi bom: talvez seja uma boa frase para se pensar sobre a vida nessa segunda-feira.

Rubens da Cunha

Anúncios

Uma resposta para “Bom dia, qualquer dia. Crônica de Rubens da Cunha

  • igrejacanaladivinoAguinaldo Filho

    Lembro-me de ter tentado montar um esquema de recolher comida nos fundos dos hotéis e restaurantes para doar a necessitados. Fui imediatamente parado, porque se alguma pessoa recebedora dessa dádiva adoecesso ingerindo o que lhes doaria, eu seria processado!
    Robert Redford, com toda a sua influência, tentou fazer o mesmo e desistiu pelos mesmos motivos. E agora, seu Zé?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: