O erro revelador – Crônica da Rubens da Cunha

 

Crônica publicada no dia 09/04/2014 no Jornal A Notícia

O erro revelador

No rol das polêmicas recentes está a pesquisa do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que divulgou uma pesquisa dizendo que 65% das pessoas acreditavam que uma mulher merece ser estuprada de acordo com a roupa que ela estava vestindo. Algum tempo depois, o IPEA diz que o resultado divulgado não estava correto, e que “apenas” 26% consideram com o termo “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. O resultado “oficial” da pesquisa também assusta. Tem muita gente ainda que acredita que a roupa que uma mulher veste é motivo para que ela seja estuprada, basta ler as dezenas de comentários em postagens no Facebook do Jornal A Notícia e Diário Catarinense. De maneira quase generalizada, para muitas pessoas a roupa que uma mulher veste é um motivo para estuprá-la, como se fosse um convite, uma chamada. Essas pessoas acreditam que o estuprador habita somente o beco escuro, que fica à espreita de fêmeas vestidas de maneira “indecente”. Muito da violência contra a mulher, incluindo aí estupro, assédio e violência física, vem de pessoas conhecidas, de gente que nada tem do esteriótipo do encapuzado no beco escuro. Há também a coisa toda da culpabilização imposta a mulher: o “com que roupa você estava?” vem acompanhado pelo “estava bêbada?”, “disse que queria e depois mudou de ideia?”, “se insinuou pro homem?”, isso tudo também vem acompanhado de uma atenuação do comportamento masculino, é o velho “homem é assim mesmo, fazer o que?”. Enfim, o estupro é uma violência antiga e terrível e não acontece apenas no beco escuro e com violência física visível, mas acontece também de maneira silenciosa e nos lugares mais comuns. Uma violência mantida pela cultura machista, pelo controle do corpo e da sexualidade da mulher, pela ideia de que homens possuem instintos incontroláveis e de que mulheres não podem despertar tais instintos. Pura balela. O resultado da pesquisa estava errado, mas serviu para mostrar duas coisas: a reação imediata em prol da liberdade sexual e comportamental feminina e, por outro lado, a certeza de que velhos e decadentes conceitos em relação a esse tema, ainda estão muito presentes na nossa sociedade.

Rubens da Cunha

 

 

Anúncios

Uma resposta para “O erro revelador – Crônica da Rubens da Cunha

  • Maurélio Machado

    Uma pesquisa divulgada com erros dos percentuais incendiou a sociedade brasileira. Os machistas se vangloriaram:”eu tinha razão”, os homens de bem não acreditaram nos resultados e as mulheres ficaram estarrecidas. Crônica bem elaborada que veio para esclarecer muitos pontos obscuros divulgados por um instituto que para mim perdeu a credibilidade pela falta de cuidado ao tabular números e percentuais.
    Abraços Mestre e amigo Rubens.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: