Crônica da Semana, por Marco Vasques

COMO FAZER UMA FEIRA DO LIVRO

Por Marco Vasques

Publicado no jornal Notícias do Dia [14/04/2014]

a)     Chame todos os subliteratos de sua cidade. Chame todas as confrarias e aglomerados de esforçados das letras. Sim, porque a qualidade não importa. E o que é relevante? Criar índices que agradem aos patrocinadores;

b)     Faça uma ala de barracas de pastéis e outros salgadinhos para serem fritos dentro da feira, pois a fritura é um alimento salutar para a literatura gordurosa exposta ao lado;

c)      Convide muita estrela de televisão. Não importa o que ela tenha escrito. Possui livros publicados, fez novela, é celebridade. Chame, que a mídia está garantida;

d)     Guarde bastante dinheiro para pagar transporte para alunos de escolas públicas. É preciso encher a feira de gente, a qualquer custo, pois a foto precisa revelar o sucesso de público — ainda que ele seja forjado e falso. E alunos de escola pública são coitados mesmo; se os organizadores, filantropos da cultura, não forem buscá-los, eles nunca irão a uma feira do livro;

e)     Não convide autores que têm a literatura como ofício, que construíram obra de relevância e que tenham aval da crítica especializada e da historiografia literária. Para quê? Esses críticos são uns chatos e a história da literatura não tem importância alguma. O que realmente interessa é vender muita literatura dócil. Por isso, do outro lado, dentro da feira, coloque, também, um quiosque vendendo docinhos, que é para a turma ir se acostumando com o açúcar das letras;

f)        Não ouça os especialistas em literatura. Não fale com professores, não monte uma comissão para debater aspectos como: para que fazer uma feira do livro? Para quem fazer uma feira do livro? Que conceito adotar para que a feira não se torne apenas mais um evento corriqueiro? Alimente o ego dos organizadores, que via de regra, possuem dois ou três neurônios em funcionamento;

g)     Coloque os estandes à venda, o mais caro possível, para atrair somente distribuidores que se mantêm no mercado vendendo literatura de salão de beleza;

h)    Reserve outra quantia de dinheiro para pagar um bom veículo de comunicação, que vai fazer matérias incríveis, demonstrando que a feira é um sucesso e que tem recorde de público;

i)       Faça a feira dentro de um galpão, longe do populacho do centro. Afinal, livro é coisa nobre. E a pobreza do terminal central tem mais é que ficar longe da leitura mesmo;

j)       Contrate uma pessoa que nunca leu um livro para ser organizadora e realizadora da feira. Ela vai ser um sucesso. Pronto. A receita de como fazer uma feira está na mesa! No entanto, alguns críticos insistem em estragar o jantar. Sim,  afinal, livros, leitura e autores não importam. O que importa é o espetáculo!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: